SP: ex-moradora do Moinho protesta contra atraso de auxílio aluguel


Edmar Imaculada Matoso, conhecida como Lora, escolheu a rua para protestar. Imagem: AG

Edmar Imaculada Matoso está vivendo com a família nas calçadas da rua Apa, em Campos Elíseos, no centro da capital paulista. Imagem: AG

Na esquina da rua Apa com a General Júlio Marcondes Salgado, em Campos Elíseos, centro de São Paulo, a carroceira Edmar Imaculada Matoso, conhecida como Lora, cozinha, lava roupa, cuida dos quatro filhos e recebe os amigos e vizinhos para conversar. Há pouco mais de duas semanas, Lora e o marido fizeram das calçadas da rua Apa sua moradia. Trata-se de um protesto: ela cobra da prefeitura de São Paulo os meses de auxílio aluguel que a administração deixou de pagar entre dezembro de 2012 (último mês da gestão de Gilberto Kassab) e abril de 2014. Lora informa que já procurou a prefeitura e o Ministério Público para cobrar o valor devido, mas sem sucesso. Ela diz também que em 2014 recebeu R$ 3 mil referentes a alguns meses atrasados, o que não alcança o montante total.

 

Lora e a família moraram na Favela do Moinho, em Campos Elíseos, até 2011. Em 22 de dezembro daquele ano, um grande incêndio destruiu um terço das casas da favela – incluindo a de Lora –deixando cerca de 1.800 pessoas desabrigadas. Em janeiro de 2012, ela assinou um termo de compromisso com a prefeitura para receber o auxílio aluguel e buscar outra casa até que a habitação definitiva oferecida pela administração municipal na Vila dos Remédios ficasse pronta. Com o valor recebido (R$ 300 por mês à época, R$ 400 atualmente), Lora saiu do centro e alugou uma casa para a família em Guaianases, no extremo leste de São Paulo. Ela ainda mantém a casa e paga o aluguel com o auxílio, mas está em débito com a proprietária devido aos atrasos da prefeitura. Ir para a rua foi a forma encontrada por Lora para reaver o que lhe é devido e pagar o que deve para continuar morando na casa alugada enquanto seu apartamento definitivo não sai. De acordo com o site da Secretaria Municipal de Habitação (SEHAB), o empreendimento da Vila dos Remédios está com a primeira etapa em andamento e a segunda ainda em projeto. Não há informações sobre a data de entrega dos imóveis.

 

No último domingo (10/7) o AG esteve na rua Apa conversando com Lora e conhecendo sua família, o marido João e os filhos Brenda, Breno, Bruno e Wan. No primeiro vídeo, Lora conta a história do atraso dos pagamentos e as dificuldades que vem enfrentando. No segundo, ela apresenta detalhes do compromisso firmado com a prefeitura em 2012. O AG entrou em contato com a assessoria de imprensa da SEHAB na segunda-feira (11/7), mas até a publicação desta reportagem não obteve resposta para as perguntas enviadas.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *